Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar

Arboviroses

Tecnologia de drones e prevenção de Zika e Chikungunya

05/12/2023
4 min de leitura
Tecnologia de drones e prevenção de Zika e Chikungunya
Junte-se a mais de 2.800 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Com o crescente desenvolvimento da tecnologia nos últimos tempos, podemos perceber o quanto o mercado mudou. Além disso, no ano de 2023 tivemos um um aumento expressivo em relação a IA (Inteligência artificial), que hoje encontra-se em aplicativos, softwares, programas, entre outros. Se tratando da área de saúde pública, percebemos um destaque único para a tecnologia de drones e prevenção de Zika e Chikungunya. 

Também conhecidos como VANTs (Veículos Aéreos Não Tripulados), os drones se desenvolveram a ponto de não se tornarem úteis somente para o setor de engenharia, agronegócio e cinematografia e afins. 

Atualmente, a aeronave consegue auxiliar a gestão pública de saúde e contribuir, em conjunto com os municípios, para o tratamento e profilaxia de arboviroses de maneira eficiente, tecnológica, prática e 100% remota. 

Neste artigo, você vai entender a tecnologia de drones e prevenção de Zika e Chikungunya. Além disso, entenderá como o TechDengue atua de maneira disruptiva, pioneira e estratégica no combate às arboviroses. 

Confira!

O cenário de Zika e Chikungunya no Brasil

De acordo com informações e dados divulgados pelo G1, os casos de dengue, zika e chikungunya aumentaram de maneira expressiva no ano de 2023, e o principal fator estimulador foram as ondas de calor registradas no ano. 

Se tratando da dengue, foram registrados mais de 1,6 milhões de casos, e é a segunda pior marca desde o ano de 2000, de acordo com Ministério da Saúde (MS). 

Os casos de Zika estão cada vez mais frequentes, foram registrados mais de 141 mil casos. Além disso, foi visto que nos últimos 4 anos, esse número só vem aumentando.

O MS também disse que essas doenças chegaram “mais cedo” em nosso território nacional e em outras partes da América Latina. Por fim, também reforçou a questão do combate ao mosquito, de forma a reduzir esses números. 

Os casos de Chikungunya  estão cada vez mais frequentes, foram registrados mais de 141 mil casos. Além disso, foi visto que nos últimos 4 anos, esse número só vem aumentando.

Sobre o Zika vírus, faltando apenas um mês para acabar o ano, mais 7 mil casos já foram confirmados, segundo o boletim. 

Alda Maria Cruz, diretora do Departamento de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, afirmou:

“Até mesmo por conta da desmobilização dos serviços de saúde, por conta da Covid-19, a gente está precisando reestruturar as equipes de combate às endemias para as ações em campo, pra que a gente possa melhorar as ações de combate ao vetor, voltar aos níveis de vigilância que tínhamos anteriormente”.

Como os drones ajudam a combater o Aedes aegypti?

Como já sabemos, a proliferação do mosquito Aedes aegypti representa um desafio significativo para as autoridades de saúde em muitas regiões do Brasil. 

Felizmente, avanços tecnológicos têm proporcionado novas ferramentas para combater esse problema, e os drones emergiram como uma solução inovadora no combate ao vetor. Veja como essas aeronaves contribuem para a prevenção da dengue.

1. Mapeamento e Vigilância Eficientes

Uma das principais contribuições dos drones no combate ao Aedes aegypti é a capacidade de realizar mapeamentos detalhados e vigilância das áreas afetadas. 

Equipados com câmeras de alta resolução e sensores específicos, esses dispositivos sobrevoam regiões urbanas, identificando potenciais criadouros de mosquitos. 

O mapeamento preciso permite que as autoridades concentrem seus esforços em áreas críticas, otimizando recursos e acelerando as ações de combate. A tecnologia de drones e prevenção de zika e chikungunya nunca estiveram tão relacionados quanto na atualidade.

2. Identificação de focos de larvas

Na tecnologia de drones e prevenção de Zika e Chikungunya, eles também são capazes de identificar focos de larvas do Aedes aegypti em locais de difícil acesso. Áreas urbanas densamente povoadas muitas vezes apresentam desafios para a inspeção manual.

Os drones superam essa limitação, alcançando telhados, becos e outros locais de difícil acesso, onde pequenos recipientes de água acumulada podem se tornar criadouros. Essa identificação precoce possibilita a aplicação rápida de medidas preventivas.

3. Distribuição de inseticidas

Outra aplicação na tecnologia de drones e prevenção de Zika e Chikungunya é a distribuição de inseticidas de forma precisa e direcionada. 

Equipados com sistemas de liberação controlada, essas aeronaves podem sobrevoar áreas previamente mapeadas e aplicar inseticidas apenas em locais específicos, evitando a dispersão indiscriminada de produtos químicos. Isso reduz o impacto ambiental e melhora a eficácia de controle.

4. Sensibilização da comunidade

Além das funções práticas no combate direto ao mosquito, os drones também desempenham um papel na sensibilização da comunidade. 

Equipados com sistemas de comunicação, essas aeronaves podem transmitir mensagens educativas sobre a prevenção da dengue, incentivando a eliminação de criadouros e promovendo práticas saudáveis. Essa abordagem inovadora contribui para uma conscientização mais ampla e engajamento da população no combate ao Aedes aegypti.

Em geral, tecnologia de drones e prevenção de Zika e Chikungunya os representam uma ferramenta poderosa no combate ao vetor e na prevenção da Zika e Chikungunya. Sua capacidade de mapeamento, vigilância, identificação de criadouros, distribuição precisa de inseticidas e monitoramento ambiental oferece uma abordagem abrangente e eficaz. 

Ao integrar essa tecnologia nas estratégias de saúde pública, as comunidades podem enfrentar de maneira mais eficiente os desafios associados à proliferação do mosquito transmissor dessas doenças, promovendo ambientes mais seguros e saudáveis.

TechDengue: Um projeto disruptivo no combate a Zika e Chikungunya

Em meio aos desafios crescentes relacionados às arboviroses, o projeto TechDengue surge como uma solução inovadora com a utilização de drones no enfrentamento da dengue. 

Esta não é apenas uma tecnologia de drones e prevenção de Zika e Chikungunya, como também uma revolução que redefine os limites da eficácia e agilidade no combate ao vetor.

O TechDengue marca um progresso significativo diante do aumento constante de casos de dengue, zika e chikungunya, incorporando tecnologias de última geração para aprimorar e complementar as estratégias já em vigor.

Nosso objetivo é introduzir inovação nos modelos de tratamento existentes, adotando uma abordagem única, ágil e eficaz. tecnologia de drones e prevenção de Zika e Chikungunya inova completamente a maneira tradicional de lidar com as arboviroses.

Composto por drones inteligentes equipados com recursos de inteligência de dados, georreferenciamento e Business Intelligence, o TechDengue vai além da simples erradicação do vetor. 

Ele traz um novo modelo no que tange ao tratamento e profilaxia das arboviroses, proporcionando uma abordagem estratégica e orientada por dados para a execução assertiva das ações.

A integração de inteligência de dados e georreferenciamento permite uma identificação precisa de focos de larvas em locais de difícil acesso, garantindo uma intervenção mais rápida e direcionada.

Essa capacidade de monitoramento avançado contribui diretamente para a otimização dos recursos e a melhoria da eficácia das estratégias de controle. Na tecnologia de drones e prevenção de Zika e Chikungunya, o TechDengue vai muito além.

Tecnologia de drones e prevenção de Zika e Chikungunya: conheça as etapas do TechDengue

1. Planejamento

A metodologia única do TechDengue ocorre em estreita colaboração com as prefeituras, iniciando pelo Planejamento. Nessa etapa, o objetivo é estruturar áreas de ação alinhadas aos interesses e necessidades específicas de cada município, promovendo uma estratégia personalizada e eficaz na tecnologia de drones e prevenção de Zika e Chikungunya.

2. Mapeamento

O Mapeamento, que é a etapa subsequente, ocorre com o sobrevoo de drones sobre as áreas selecionadas durante o planejamento.

Com uma média de 200 imagens captadas para cada hectare de voo, o TechDengue estabelece uma base sólida para as fases seguintes e promove uma visão abrangente das regiões de atuação.

3. Análise e Identificação

Aqui, ocorre o processamento das imagens captadas durante o mapeamento. Utilizando um software de última geração, identificamos locais em potencial de reprodução do mosquito, com uma taxa média de conversão de 10% de Pontos de Oportunidade e Interesse (POI’s) identificados em relação ao total de imagens captadas por hectare, destacando a precisão do processo.

4. Tratamento e profilaxia

Desenvolvemos uma tecnologia embarcada que realiza a dispersão de larvicida de maneira sustentável. 

O uso de uma pastilha 100% orgânica, com Espinosade derivado da fermentação biológica, assegura a eficácia no controle dos mosquitos com respeito máximo ao meio ambiente e às comunidades.

Para otimizar a eficácia do tratamento, dispomos de imagens e vídeos registrados durante a atividade, proporcionando transparência e validação visual aos resultados obtidos. Além disso, as pastilhas orgânicas utilizadas pelo TechDengue são preconizadas pelo MS.

Clique no vídeo abaixo, e entenda ainda melhor sobre as etapas e funcionalidade do TechDengue:

Tecnologia de drones e prevenção de zika e Chikungunya

Business Intelligence: um dos pilares mais importantes do TechDengue

business intelligence na prevenção da dengue
Tecnologia de drones e prevenção de Zika e Chikungunya - Geointeligência e Saúde Publica

Além da etapa de Tratamento e Profilaxia, ainda temos uma última: a geração de relatórios em BI. Um dos grandes diferenciais do TechDengue é a integração de dados em tempo real e análises precisas, que oferece uma visão abrangente do cenário e capacita as equipes de saúde a tomar decisões informadas e estratégicas.

O componente de Business Intelligence, embarcado nos drones, transforma dados brutos em informações valiosas em tempo real, que são essenciais para otimizar o trabalho dos agentes de saúde e guiar os processos sob a supervisão dos gestores de saúde pública, utilizando nossa plataforma de inteligência artificial, o AeroMap.

O TechDengue não apenas oferece uma solução tecnológica, mas sim uma parceria estratégica para fortalecer as operações de combate ao Aedes aegypti. Ao aproveitar os dados gerados pelos drones, a equipe de saúde ganha uma compreensão mais profunda dos padrões de propagação do mosquito, permitindo uma resposta ágil e eficiente.

A plataforma AeroMap se destaca como uma ferramenta fundamental, integrando inteligência artificial para orientar os gestores de saúde pública na tomada de decisões fundamentadas. Ao transformar dados brutos em insights acionáveis, a plataforma facilita a implementação de estratégias preventivas e corretivas.

Portanto, a proposta do TechDengue vai além de simplesmente usar drones no combate ao vetor; o projeto oferece uma abordagem completa, da coleta de dados à tomada de decisões, reunindo tecnologia avançada e inteligência artificial para enfrentar os desafios de forma eficaz.

Agora que você está já por dentro da abordagem inovadora do TechDengue, convidamos você a explorar mais sobre o nosso projeto. 

Entre em contato com um de nossos especialistas e descubra como a solução pode transformar o panorama do tratamento e profilaxia do mosquito causador da Zika e Chikungunya, proporcionando resultados tangíveis e duradouros para as comunidades.

Tecnologia de drones e prevenção de Zika e Chikungunya é com o TechDengue.

Olá,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

One Reply to “Tecnologia de drones e prevenção de Zika e Chikungunya”

Gestão de informação e Business Intelligence na Saúde: Veja!

[…] Em relação à saúde pública, por exemplo, estamos vendo a oportunidade de sair de moldes convencionais e aderirmos à tecnologia como maneira de otimizar as ações de combate às arboviroses, sobretudo ao Aedes aegypti, vetor causador de doenças como dengue, zika e chikungunya.  […]